Boletim semanal atualiza situação climática do Brasil a partir de mapas


Agricultura irrigada na região de Matopiba, a partir de imagens do Planet. Fonte: Lapis.


Ouça este conteúdo
Parar este conteúdo

Neste post, vamos atualizar a situação climática das regiões brasileiras, a partir de mapas, resultado do monitoramento semanal por satélite, realizado pelo Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélites (Lapis).

As imagens de satélite utilizadas neste post fazem parte do portfólio de produtos para monitoramento agrometeorológico desenvolvido pelo Laboratório. Com essas ferramentas, é possível se manter atualizado sobre variáveis como distribuição da chuva, cobertura vegetal e umidade do solo, em qualquer área do território brasileiro.

Mapa da umidade do solo indica áreas mais favoráveis à produção agrícola

O mapa semanal da anomalia da umidade do solo, processado com dados do satélite SMOS (sigla do Soil Moisture and Ocean Salinity), com dados atualizados no último dia 13 de agosto.

O mapa da umidade do solo se refere à quantidade de água contida na superfície do solo, a uma profundidade de até 5 cm, sendo uma ferramenta fundamental para monitoramento agrícola.

O destaque do mapa acima é o alto nível de umidade do solo no Sul e no oeste do Brasil, além do Nordeste, desde o norte da Bahia até o Rio Grande do Norte.

Em Rondônia, em grande parte do Mato Grosso, no Mato Grosso do Sul, no Paraná e no Rio Grande do Sul, os solos estão bastante úmidos.

Já no leste da Bahia, de Minas Gerais e de São Paulo, além do Espírito Santo, Rio de Janeiro e grande parte da Amazônia brasileira, a umidade do solo está abaixo da média, indicando predomínio de estiagem, na última semana.

O mapa processado pelo Laboratório Lapis é um dos indicadores que fornecem, com maior agilidade, uma radiografia da situação da umidade do solo nas regiões brasileiras, sendo fundamental para o planejamento agrícola.

A imagem de satélite foi gerada no software QGIS, com uso do método de geoprocessamento “Mapa da Mina”, do Laboratório Lapis. Para aprender a gerar esse e outros tipos de mapas/indicadores, baixe o Livro gratuito “Como dominar o QGIS: o guia definitivo para mapeamento”.

Mapa mostra distribuição das chuvas nas primeiras semanas de agosto

De acordo com o mapa da intensidade da seca, no período de 01 a 10 de agosto, predominaram chuvas acima da média, em toda a área oeste do Brasil (áreas em azul e roxo, no mapa). Essas áreas abrangem desde o Amazonas e o Acre até o Sul do Brasil.

Nas demais áreas do Brasil, as chuvas permaneceram em torno da média, durante o período. A exceção são algumas áreas pontuais do Nordeste e do Pará, com registro de chuvas acima da média.

Com essa ferramenta, é possível se manter atualizado sobre os volumes de chuva, em qualquer área do território brasileiro, nas últimas semanas. A imagem de satélite é mais um dos produtos de satélite que fazem parte do portfólio de monitoramento do Laboratório Lapis.

Esse é mais um dos produtos de satélite essenciais à orientação agrometeorológica, sendo decisivo para o planejamento e a tomada de decisão na produção agrícola.

Recomenda-se a utilização da imagem de satélite juntamente com outros mapas semanais, que mostrem a radiografia de variáveis como cobertura vegetal, umidade do solo e precipitação, um tripé de imagens aplicadas à análise de variáveis agrometeorológicas.

O mapa da intensidade da seca também foi processado no software QGIS, a partir de dados do produto CHIRPS, por meio do cálculo do Índice de Precipitação Padronizado (SPI).

Para saber mais sobre esse e outros indicadores ambientais e agrometeorológicos, que fazem parte do portfólio de produtos de satélites do Laboratório Lapis, baixe nosso e-book gratuito.

>> Leia também: O melhor portfólio de produtos de satélites para monitoramento agrícola

Mapa da cobertura vegetal atualiza situação da seca nas regiões brasileiras

Outro produto resultado do monitoramento por satélite das regiões brasileiras, feito pelo Laboratório Lapis, é o mapa da cobertura vegetal.

De acordo com o mapa, no período de 08 a 14 de agosto, a vegetação se manteve verde em grande parte da região Sul e da região Norte do Brasil, além da área leste do Nordeste, norte do Maranhão e do Mato Grosso.

A imagem de satélite mostra predomínio de seca ou ausência de vegetação sadia, em toda a área central do Brasil, que abrange o Centro-Oeste e o Sudeste. Em grande parte do Nordeste, também predominou seca forte, com exceção do leste do Semiárido brasileiro.

O mapa foi processado no software QGIS, a partir de dados do satélite Meteosat-11, por meio do cálculo do Índice de Vegetação por Diferença Normalizada (NDVI).

Para saber mais sobre esse e outros indicadores ambientais e agrometeorológicos, que fazem parte do portfólio de produtos de satélites do Laboratório Lapis, baixe nosso e-book gratuito

Confira a atual situação da cobertura vegetal no Semiárido brasileiro

Por fim, vamos analisar a atual situação da cobertura vegetal do novo Semiárido brasileiro, a partir do mapa do Índice NDVI, processado no software gratuito QGIS.

De acordo com a imagem de satélite, baseada em dados do período de 08 a 14 de agosto, toda a área leste do Nordeste e do Semiárido brasileiro se manteve com vegetação verde, em função das chuvas significativas recebidas nas últimas semanas. No norte do Maranhão, do Piauí e do Ceará, também há predomínio de vegetação verde.

Por outro lado, em grande parte do Semiárido brasileiro, há registro de seca intensa afetando a vegetação. Essas áreas secas abrangem o norte de Minas Gerais, toda a área central e parte do norte da região.

Em Matopiba, fronteira agrícola que, no Nordeste, vai desde o oeste da Bahia, passa pelo sul do Piauí e do Maranhão, também há predomínio de vegetação muito seca.

O mapa de NDVI é um dos indicadores amplamente utilizados para monitoramento da seca, pelos impactos diretos do estresse hídrico sobre a vegetação.

Esse mapa de alta tecnologia, baseado em dados do satélite Meteosat-11, combina a ciência geográfica com o poder do Sistema de Informação Geográfica (SIG). É uma importante ferramenta, que governa a tomada de decisão em diversos setores, especialmente na agricultura.

>>Leia também: Nova geração de satélites Planet gera imagens com oito bandas espectrais

Mais informações

Para elaborar esse tipo de índice ou produto de satélite, com resultados visualizados em mapas, conheça o método “Mapa da Mina”, do Laboratório Lapis. O Curso é um treinamento prático que realmente ensina a dominar o software livre QGIS, desde o básico até o avançado. Para conhecer o método, assista a esta apresentação

COMO CITAR ESTE ARTIGO:

LETRAS AMBIENTAIS. [Título do artigo]. ISSN 2674-760X. Acessado em: [Data do acesso]. Disponível em: [Link do artigo].

Gostou do texto? Compartilhe com seus amigos:



Artigos Relacionados

Pesquisa

Sem esse mapa você poderá perder boas oportunidades

Agricultura

Como utilizar mapas da umidade do solo para reduzir riscos agrícolas?

Clima e energia

Mapeamento destaca atual situação climática das regiões brasileiras

Inscreva-se

Deixe aqui seu e-mail e receba nossas atualizações.


×

Este site utiliza cookies. Ao fechar este aviso, você concorda. Saiba mais.