Imagens mostram desmatamento em Terra Indígena onde jornalista e indigenista sumiram



Ouça este conteúdo
Parar este conteúdo

As imagens acima, da constelação de satélites PlanetScope, mostram um alerta de desmatamento na Terra Indígena (TI) Vale do Javari.

Às margens dessa área, estão desaparecidos, desde o último domingo, dia 05 de junho, o jornalista britânico Dom Phillips e o indigenista Bruno Pereira. O caso teve ampla repercussão nacional e internacional.

Observe como era a situação antes, na imagem de satélite do dia 10 de maio, com área de floresta conservada. A segunda imagem mostra como ficou a área depois do desmatamento por corte raso, no dia 28 de maio.

Segundo o Instituto Socioambiental, a TI Vale do Javari possui uma área de 8544 hectares, sendo habitada por 26 diferentes povos indígenas isolados.

Por se tratar de uma fronteira da Amazônia Legal brasileira com o Peru e a Colômbia, é uma área ameaçada por narcotraficantes, garimpo ilegal, pesca e caça irregulares.

Em razão da ausência do estado, frequentemente a TI Vale do Javari é invadida por criminosos. Tanto é que os próprios povos indígenas se organizaram para fazer a vigilância do local, sendo constantemente ameaçados.

Inclusive, fontes relatam que o jornalista e indigenista desaparecidos também foram ameaçados por um pescador ilegal, pouco antes de sumirem.

Um dos alertas de desmatamento na TI Vale do Javari.

Um dos alertas de desmatamento na TI Vale do Javari.

As imagens de satélite foram processadas pelo Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélites (Lapis), sendo a mesma utilizada pela Polícia Federal, por meio do Programa Brasil M.A.I.S (Meio Ambiente Integrado e Seguro).

Desde 2020, essa ferramenta é usada para apoio à perícia, investigação e operações policiais, para o combate ao crime organizado.

Terra Indígena Vale do Javari. Fonte: ISA.

Terra Indígena Vale do Javari. Fonte: ISA.

Pelo Programa Brasil M.A.I.S, são geradas imagens de satélites de alta resolução espacial e alta frequência temporal, com capacidade de cobertura diária, de todo o território nacional.

Assim, são identificados crimes de tráfico de entorpecentes e crimes ambientais, como fraudes em manejo florestal, corte seletivo de madeira e detecção, ainda no início, de queimadas, desmatamento, mineração irregular, dentre outros.

O Laboratório Lapis é a instituição científica que desenvolve metodologias para uso de imagens da Constelação PlanetScope, por meio do Programa Brasil M.A.I.S.

Se você quer conhecer o mesmo método usado no Laboratório para processar e analisar esse tipo de imagem de satélite, baseada nessa tecnologia de ponta para mapeamento, baixe aqui o Livro gratuito e pratique o processamento no QGIS. 

COMO CITAR ESTE ARTIGO:

LETRAS AMBIENTAIS. [Título do artigo]. ISSN 2674-760X. Acessado em: [Data do acesso]. Disponível em: [Link do artigo].

Gostou do texto? Compartilhe com seus amigos:



Artigos Relacionados

Pesquisa

Uma tecnologia revolucionária para mapeamento da desertificação

Pesquisa

Livro gratuito ensina método para processar imagens de satélites

Pesquisa

As 5 mudanças no uso e cobertura da terra na Caatinga nas últimas décadas

Inscreva-se

Deixe aqui seu e-mail e receba nossas atualizações.


×

Este site utiliza cookies. Ao fechar este aviso, você concorda. Saiba mais.